Language:

O setor florestal brasileiro é altamente competitivo no que se refere às características potenciais como condições edafoclimáticas, alta produtividade das florestas e investimento em desenvolvimento de tecnologias.

Segundo informações publicadas no IBÁ 2014, em 2013 o Brasil totalizou 7,6 milhões de hectares de floresta plantada, sendo 72% do gênero Eucalyptus. Em sua maior parte, 32% das áreas plantadas atendem o segmento de Celulose e Papel, seguido dos Produtores Independentes, que compreendem 26% das florestas plantadas.

Porém, a competitividade florestal é assolada pela pressão inflacionária setorial (observada no INCAF- Inflação do Setor Florestal Brasileiro), mais acelerada que a inflação oficial do governo (Índice IPCA). Esse fato econômico é observado principalmente após 2008, até os dias atuais.

A silvicultura brasileira sofre diretamente o aumento de custos, por ainda ter baixo nível de mecanização, tornando o controle desses custos um dos drivers mais importantes de busca por garantia e aumento da competitividade do setor.

O Brasil, por sua vez, sofre com a instabilidade econômica e política, baixa taxa de crescimento do PIB nos últimos anos, mais recentemente a crise cambial, e consequente aversão ao risco de investimentos.
Para mantermos o crescimento do setor e o fluxo de investimentos, principalmente em momentos de dificuldades econômicas, além dos fatores estruturantes (custo de capital, taxa de juros, logística precária, entre outros), o setor florestal brasileiro deve buscar ações e investimentos em tecnologia, inovação, mecanização, automação e consequente agregação de valor e gestão eficiente de todo o processo.

Neste cenário, a silvicultura de precisão é ferramenta fundamental para a garantia da produtividade florestal, bem como a gestão de custos. A demanda por sistemas que garantam a qualidade das operações florestais e dados confiáveis que aperfeiçoem a tomada de decisão, direciona ao uso cada vez mais presente dessa tecnologia.

Com esta visão, foi estabelecida uma parceria entre a Innovatech e Arvus, um exemplo de sucesso de união de competências complementares.

A solução inteligente na gestão das florestas visa capturar o máximo de valor para seus clientes e, dentro dessa filosofia, as empresas parceiras adotam metodologias e processos mais inovadores disponíveis no mercado, o que garante aderência total às recomendações do pacote tecnológico, dentre os quais destacam-se:

  • Controle de dosagem de aplicação de adubos, com foco em uniformidade na nutrição florestal;
  • Piloto automático na subsolagem, o que garante a uniformidade espacial recomendada;
  • Sistema de gestão e relatórios gerenciais, os quais suportam as tomadas de decisões dos gestores e melhorias contínuas dos processos.

A equipe Innovatech utiliza os relatórios do sistema da Arvus para gerenciar e aprovar a execução das operações, visando aderência máxima das recomendações técnicas, o que contribui para a garantia das metas de custo e produtividade dos diferentes projetos da Innovatech.